Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

MANGA PLUS: EDITOR COMENTA SOBRE A DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS NO EXTERIOR

MANGA PLUS: EDITOR COMENTA SOBRE A DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS NO EXTERIOR

 

Shueisha / Divulgação

Através de um post publicado em um blog japonês, Yuta Momiyama, um dos responsáveis pelos serviços Shonen Jump+ e Manga Plus da Editora Shueisha satisfez a curiosidade do público ao comentar como o departamento editorial gerencia internamente a distribuição internacional de títulos através das plataformas.

De acordo com Momiyama, comumente editoras japonesas vendem direitos de publicação no exterior para empresas estrangeiras por meio do setor de licenciamento, e que embora tal método ainda possibilite lucro nos dias atuais, a Shueisha deseja ter maior controle sobre os materiais que fornece através dos próprios meios de distribuição dos quais detêm o comando direto.

O editor enfatiza ao explicar como o trabalho funciona que o papel principal de uma editora de mangás é trazer publicações novas e interessantes a todos, e destaca que para conseguir esse objetivo a Jump faz constante uso de comentários de leitores e questionários, de modo que com o Manga Plus agora a Shueisha pode acompanhar a recepção internacional de mangás desde a etapa inicial de serialização, ressaltando inclusive a importância da opinião do público mundial sobre novas produções para decidir até mesmo quais serão escolhidos para receberem animes.

Ao frisar um relatório divulgado pela editora Kodansha, que declarava que aproximadamente 20% dos atuais lucros de mangás são referentes a vendas no exterior, Moriyama afirmou que chegou a prever que o comércio de mangás fora do Japão seria ainda mais importante no futuro, ratificou também que tomou conhecimento na Shueisha de que as vendas de mangás dobraram ao longo de 2021 e chegou a dizer que a proporção de consumo internacional de mangás poderá se equivaler a do mercado japonês em um prazo de até 10 anos, tendo usado como exemplo para sustentar sua afirmação a popularidade do mangá Kaiju No. 8 (Monster #8), cujo primeiro volume teve 250.000 cópias vendidas ao ser lançado na França, mesmo com o alto custo das unidades em comparação às edições japonesas.

Vale relembrar que várias declarações sobre o crescimento das vendagens de mangás ao redor do mundo feitas por Moriyama foram feitas durante uma entrevista com ele ocorrida em setembro ao site nipônico ITMedia do ano passado, onde chegou a falar que o Manga Plus funciona como uma ferramenta temporária fundamental da indústria para remediar a pirataria e cobrir uma lacuna de acesso a obras entre o Japão e outros países do planeta, ao ajudar a tornar as versões oficiais de mangás mais acessíveis aos fãs e consumidores de outros países.

O Manga Plus conta atualmente com uma média de 5 milhões de usuários ativos por mês, e está disponível para usuários fora do Japão nos idiomas: inglês, russo, espanhol, tailandês, indonésio e português brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]